Cresce a confiança nas instituições

evangélicas, mas líderes remam em "má fama"

     VOX realizou enquete entre os dias 14 e 18 de fevereiro de 2021 com 42 entrevistados. Eram homens e mulheres de idades diferentes. 50% deles identificavam-se como evangélicos (de diversas denominações) e 50% praticantes de outras religiões. A enquete foi realizada via whatsApp.

    Os entrevistadores do VOX fizeram duas perguntas. A primeira: "Em relação há dez anos, sua confiança nas instituições evangélicas cresceu ou diminuiu?" A segunda pergunta encaminhada foi: "Em relação há dez anos, a sua confiança nos pastores ou outras lideranças evangélicas cresceu ou diminuiu"?

     Para 59% dos ouvidos, as entidades tornam-se melhores e verdadeiramente mais envolvidas com a comunidade. Se a aprovação das denominações avançou, a rejeição das lideranças no entanto agigantou-se pois, cerca de 71% dos entrevistados pelo VOX colocaram em situação de suspeita o trabalho de evangelização dos seus pastores ou outras formas de  liderança.

     Para parte significativa dos que "não confiam tanto assim em seus pastores", o envolvimento deles com a Política eleitoral é a razão central desse sentimento.  Fração  considerável citou também "questões financeiras" como o motivador, já que os escândalos têm força bastante para sacudir a confiança que poderiam ter. Para os que aprovam os pastores, boa parte simplesmente respondeu: "São seres humanos. E seres humanos são mesmo assim. Erram como qualquer outro".

Evangélicos.jpeg

Conteúdo produzido por VOX - 20/02/2021, 10h

Shopping do VOX